05 dezembro 2019

Creme De Tratamento Hidratação Intensiva - Monange

Oi gente!
Hoje meu dia foi agitado... pela manhã tive consulta com a minha dermatologista (agora estou com o rosto avermelhado e roxo por conta dos procedimentos...kkk), após, tive seminário jurídico na minha faculdade e agora estou aqui no Fórum estagiando. Enquanto não aparece demandas para fazer, resolvi postar aqui no blog porque ontem não consegui fazer por conta do sono e cansaço. Sobre a postagem anterior, fiz de todo o coração, contando coisas bem íntimas da minha vida para servir de inspiração para muitos. E após essa atitude, os comentários que recebi foram incríveis e motivadores. Essa foi a minha intenção quando escrevi, mostrar que todo o mundo é capaz de realizar seus sonhos e objetivos, mesmo você não sendo a escolha perfeita da vitória e mesmo você tendo algum tipo de problema. Para ser bem breve na postagem, vou compartilhar com vocês um produtinho que eu amei usar na época, baratex, eficiente e muito bom nas madeixas. Confiram: 




Sobre o produto: O Creme de Tratamento Hidratação Intensiva Monange proporciona aos cabelos hidratação intensiva, combatendo os quatro sinais de ressecamento dos cabelos, fortalece os cabelos quebradiços, deixa os fios capilares sedosos, macios, com brilho e luminosidade. Resulta em cabelos revitalizados e reestruturados logo nas primeiras aplicações.


Minha opinião: Adorei!
Amei pelo custo benefício e por ser tão eficiente. Tinha tempo que via resenhas sobre esse creme em alguns blogs e ficava só na vontade de comprar, foi aí que fui nas Lojas Rede e encontrei o precioso com um preço bem camarada. Não pensei duas vezes e trouxe ele para a casa. E não é que ele deu conta do recado?! Deixou meus cachos bem mais bonitos, definidos, hidratados e aparentemente saudáveis. Mesmo o pote sendo pequeno, ele rende bastante (no meu cabelo, durou por 1 mês e meio), além disso, tem um cheirinho muito bom e uma consistência ótima! 





Preço: Na época, paguei R$ 7,99 nas Lojas Rede. 



Gostaram da postagem? Comente!


Até a próxima!
Beijos.


03 dezembro 2019

I'm unstoppable today

Oi gente!
Hoje criei forças para vir aqui no blog conversar com vocês. Na verdade, desabafar e contar um pouco mais sobre a minha vida. Resolvi fazer isso depois de ouvir várias pessoas me incentivando a contar minha história, pois serviria de exemplo para muitos. Escolhi como título dessa postagem uma música que eu estou apaixonada e que me motiva a cada dia: Sia é uma diva e essa canção é uma das mais lindas que ela já fez. 

O título da postagem não foi a toa... hoje posso dizer que sou forte e invencível. Quem diria que uma guria como eu, considerada "Zé Mané", "Zero à esquerda" iria conseguir concluir com sucesso o ensino superior de direito? Quem diria que conseguiria passar na OAB de primeira, conseguiria driblar a depressão profunda e dar a volta por cima (das notas baixas, tiraria as melhores notas finais).


Não foi fácil... enquanto escrevo, muitas lágrimas rolam no meu rosto, mas é de felicidade, orgulho próprio e admiração. Porque quem tem depressão sabe que não é fácil se erguer quando a queda é brusca, não é fácil deixar os pensamentos ruins de lado para conseguir focar no presente, quando as crises surgem, não enxergamos nossas qualidades, esforços e esquecemos que com amor, dedicação e força de vontade a gente consegue chegar lá. 

Hoje, posso dizer que concluí meu curso de direito, foram 5 anos de luta, tem muita lágima minha espalhada naquela faculdade, nos ônibus que eu pegava diariamente... Para quem não sabe, quando meu pai morreu em 2016, eu não queria mais estudar, estava no 3º período do curso. Minha mãe me obrigou a continuar, mesmo sendo difícil. Então, foi prosseguindo com lágrimas, dor, saudade e tive que me esforçar muito. Era a dor de perder um pai e uma dor de não ter o namorado que desse valor para mim na época. 

Como se não bastasse, 6 meses após a morte do meu pai, o INSS cortou o benefício da minha mãe e foram 3 anos lutando na justiça para ter o reconhecimento do direito dela como dependente e viúva. Traduzindo... além de ter perdido contato com muitas pessoas da família que não quiseram mais saber da gente e dos vizinhos olhando com desprezo... passamos por dificuldade financeira. Foram 3 anos de vida regrada, dinheiro contado, dormindo no chão... Como eu não conseguia emprego e tampouco estágio na minha área, para ajudar em casa, vendi todas as minhas coisas: Roupas, sapatos, guarda-roupa, escrivaninha, aspirador de pó (que era para o carro que meu pai iria me presentear), celular, cama, notebook... Foram 3 anos usando as mesmas roupas repetidas, o mesmo sapatinho surrado... Tinha chegado um tempo que nós sobrevivíamos vendendo as coisas de casa, recebendo dinheiro por publicidades feitas aqui no blog, e quando esses recursos se esgotavam, precisávamos da ajuda de terceiros, foi aí que vimos o lado mais lindo da humanidade. 


Muitas pessoas da faculdade me ajudaram a continuar estudando (davam até dinheiro de passagem quando eu não tinha para o dia/semana seguinte), tentaram me arrumar emprego, mas sem sucesso... foi quando em 2018, meados setembro, a defensoria pública lançou um edital de aprovados e tinha o meu nome lá, em 3º lugar. Foi uma dádiva, uma conquista surreal. Quando eu tinha desistido de encontrar um estágio, Deus me deu o estágio perfeito. Hoje, trabalho na defensoria pública na área da Lei Maria da Penha e sou muito grata pela oportunidade que tive de ter capacidade, ajudar minha família financeiramente, aprender a área jurídica na prática e principalmente aprender a ajudar os outros, da mesma forma que um dia minha família e eu precisamos de ajuda. Reciprocidade.

E aí, com o valor que eu recebia, ajudava em casa, ficava orgulhosa quando eu recebia e ia no mercado fazer compras... enchia o carrinho e pagava com meu dinheiro. Nunca esqueço de quando eu recebi o valor integral, eu dei um grito na área de refeição da faculdade, porque eu tava muito feliz e na expectativa de receber, depois de 1 mês trabalhando. Depois tudo foi se aperfeiçoando... até que em março desse ano, ganhamos a ação na justiça. Minha vida se estabilizou nessa época. Tudo que tive que abrir mão, eu consegui suprir (com coisas de excelente qualidade), me dei privilégios em ir a lugares sofisticados, comprar roupas que eu gostava (independentemente do preço), a sair de carro todos os dias para ir fazer prova ou ir ao estágio, frequentar uma das melhores academias de BH, poder gastar sem se importar em limitação, porque a nossa vida tinha se estabilizado e nunca mais passaríamos por dificuldades financeiras. 

Até que em setembro, no 10º período, tendo tudo do bom e do melhor, realizando sonhos, com a "vida perfeita e nos trilhos" veio algo muito forte na minha vida... a depressão profunda. Mesmo tendo dinheiro, amigos, família, um bom emprego e estar na reta final do curso... fui atingida por um vazio imenso, desânimo de estudar, de fazer as coisas que eu mais amava (ouvir música, conversar com os amigos, escrever no blog, estudar, fazer atividades físicas...). Eu pensava 24 horas em suicídio, porque eu tinha tudo e não era feliz. Qualquer pessoa no meu lugar ficaria feliz pelas conquistas e tantas coisas boas que estavam acontecendo... mas eu não tinha energia para ficar bem. Eu deitava na cama, chorava, me sentia uma inútil e imprestável, era como se eu não merecesse viver, por ser uma inutilidade na Terra e um incômodo para minha família e pessoas ao meu redor. Foi aí que, antes de tentar suicídio (tinha vontade mas coragem não, sabe?), eu procurei o núcleo de apoio da faculdade, fui atendida por um psicólogo que possui deficiência visual e enquanto eu falava e me expressava, ele me diagnosticou com princípio de depressão profunda e ideações suicidas extremas... Além disso, ele me recomendou um psiquiatra de imediato, preferencialmente um especialista reconhecido em BH. Saí em choque da faculdade, liguei para minha mãe, fui para a casa e chorei mais ainda. No dia seguinte, consegui marcar consulta com o psiquiatra. Ele me consultou (foi uma terapia, eu estava muito abatida, desnorteada, lembro que na sala dele eu só olhava para baixo e chorava), me medicou e fomos para a casa depois. Nesse dia, minha mãe gastou mais de mil reais comigo: com preços da consulta, remédios controlados e transporte. Percebi que o que minha mãe fez foi um ato de amor, não se importou em gastar dinheiro comigo, porque ela queria me ver bem e viva. 

Depois, os medicamentos me deixavam muito dopada, não conseguia ir às aulas, só ia para o estágio e voltava para a casa. Foi aí que minhas notas foram decaindo e por um triz eu não perdi o semestre. Tive ajuda de duas pessoas maravilhosas e que foram verdadeiras anjas na minha vida: Lari e Lu. Sem elas me dando apoio e me ajudando nas matérias, eu estaria perdida. Após 1 mês de tratamento, voltei ao psiquiatra, ele me achou bem melhor que antes e trocou meus medicamentos. Hoje estou melhor, em vista de antes e orgulhosa de mim mesma, porque encontrei forças para continuar em frente e não desistir de mim. 


Ontem eu chorei igual bebê porque a "ficha caiu" que estou formada no curso... basta esperar o mês de março para buscar o diploma. Sou a primeira da família da minha mãe a se formar no ensino superior. Não sou de família rica, mas devo confessar que tive muita regalia na vida, até que eu perdi quando meu pai faleceu... o lado bom da dificuldade, foi que eu pude ver que ainda existe gente boa nesse mundo, pude reconhecer o valor do trabalho, o valor do estudo e ser grata pelas pequenas coisas que vinham na minha vida, seja uma roupa, uma comida, um sono tranquilo, etc. 

É uma baita duma história que ocultei por anos... mas hoje me sinto preparada para contar porque fez parte da minha vida e foram essas dores que cicatrizaram e me fizeram ser o que sou hoje... Aprendi a acreditar na minha capacidade, aprendi a amar os estudos, as oportunidades e o trabalho. Aprendi a ser mais humana e mais humilde. Dinheiro não é tudo nessa vida, há coisas mais importantes que isso. Ter uma vida confortável é muito bom, estar nesse patamar é difícil, mas não impossível. 

De agora em diante eu pretendo só crescer e apostar em mim mesma (mesmo eu sendo depressiva assumida, medrosa, tímida... eu encaro com medo, com dor e com temor, pois sei que um dia vou conseguir chegar lá), aprendi a sonhar os sonhos de Deus (renegar minhas vontades quando não dão certas, porque Deus tem algo melhor para mim, no tempo Dele). 

Deixo essa mensagem-depoimento-desabafo para vocês, que eu sirva de exemplo como fui para muitos. Foi difícil acreditar em mim mesma, mas quando olhei para trás, vi tudo que passei e onde cheguei, chorei porque foram através das dificuldades que me tornei o que sou hoje, e espero que as conquistas nunca se acabem. 


Até a próxima!
Beijos.


11 novembro 2019

Olha só quem resolveu aparecer...

Oi gente!
E não, você não leu errado a postagem... depois de lutar muito, consegui voltar para o blog, graças a Deus e todo o carinho e apoio que recebi nas minhas redes sociais. Não sabem o quão importante é receber mensagens de conforto, principalmente quando estamos passando por fases difíceis. O meu caso, já contei para vocês... é a maldita depressão, que nesses tempos atrás, ficou mais potente e quase acabou comigo (falo literalmente em suicídio). Até que resolvi procurar ajuda e agora mensalmente faço consultas com meu psiquiatra e a sala dele é mais que uma terapia, ele como bom profissional atende minha mãe e eu e sempre me "coloca na linha" com os devidos sermões: "Não seja egoísta em tirar sua dor e passar para sua mãe, você acha que ela aguentaria ver você morta?", "você tem que enfrentar sua dor sozinha e não transferir para os outros, faça atividades físicas, fique longe de bebidas alcoólicas, fumos e drogas, pois eles pioram o quadro depressivo e toma os medicamentos da maneira correta". Fiz questão de colocar as frases que ele me disse, porque são importantes, se me ajudou na hora, pode ajudar você do outro lado da telinha. 


Todo o mundo passa por problemas, no meu caso é a depressão, talvez descrevendo como me sinto, você poderá entender: 

"Ter depressão é ter todos os horários disponíveis da vida e não querer fazer nada, estar rodeado de pessoas mas se sentir sozinho, ajudar as pessoas e na hora que você precisa ninguém está lá para lhe ajudar, é sentir uma solidão imensa dentro de si que nada preenche esse vazio; você pode gastar sua grana em alguma cobiça mas não supre sua solidão, é se iludir com alguém que ama sabendo que a pessoa não corresponde, olhar para o espelho e não ver sentido na vida, andar nas ruas como se não tivesse um rumo a ser seguido, é chorar relembrando os piores traumas, querer dormir e nunca mais acordar, é desejar o "fim" à sua vida. É olhar para todas as coisas e não ter empatia por elas, é deixar de fazer aquilo que mais se ama, deixar de lado seus amigos por se sentir um problema para eles, é sair de casa com o sentimento de tristeza, isolamento, achar que todos ao seu redor não te querem por perto, que você é um peso na vida deles, é não ter medo da morte e desejá-la mais do que nunca, é pensar em si mesma e no quanto você queria sumir para sempre desse lugar que para você é considerado ruim, podre e destruidor."


Nesses tristes momentos, esquecemos das nossas qualidades, do nosso verdadeiro eu, da nossa família, das consequências dos nossos atos e em quem vai realmente sofrer e sentir nossa falta se tirarmos a própria vida. Eu resolvi voltar para o blog, porque lendo cada comentário, direct e mensagens que recebi de vocês, me emocionei, lembrei das minhas qualidades, lembrei do ser humano que sou, lembrei das coisas boas que já fiz para o próximo, lembrei da família que me ama tanto e que precisa de mim, lembrei dos meus pets, dos meus amigos, das pessoas que querem o meu bem e torciam pela minha recuperação.

Por isso, lhe faço uma proposta: Pegue agora uma folha de papel (mesmo que você esteja em prantos como eu, não importa), escreva suas qualidades, seus sonhos, seus medos superados. 



Qualidades: Amiga, divertida, sorridente, carismática, bondosa, 

Sonhos: Ser advogada, ter êxito no meu trabalho, comprar um carro, passar em concurso público, 

Medos superados: Ter encarado a escola pública fundamental, médio e a faculdade sozinha, passado no exame de direção pela terceira vez, ter elaborado uma petição perfeita na defensoria pública (que foi digno de elogios), Enfrentar os medos da vida (ser independente financeiramente, ter uma vida estabilizada, estar quase formando na faculdade de Direito), ter passado de primeira na primeira fase da OAB XXX,


Quando as crises depressivas surgem, tudo isso citado acima não aparece em nossa memória, só pensamos na dor e no quanto queremos que isso acabe. Nesses momentos ruins, olhe para sua folhinha de papel e veja quantas qualidades você possui, quantos sonhos tem em frente para serem realizados, olha os medos que você tinha e que foram superados! O mundo precisa de seres humanos assim como você: uma pessoa bondosa, de bom coração, linda tanto por fora quanto por dentro, prestativa, solidária... por isso, não desista de você! Sei que não sou o melhor exemplo a ser seguido, mas acho que minhas recomendações podem te ajudar de alguma forma. Haja o que houver, vamos superar todo esse transtorno!



Até a próxima!
Beijos. 

17 setembro 2019

Vestidos azul oceano - Yesbabyonline

Oi gente!
Depois da minha crise de depressão ontem, fui ao psiquiatra com minha mãe e devo ter gastado mais de mil reais com remédios, consulta, transporte, etc. Mas se é para um bem geral, a gente faz. Uma frase que me marcou durante a consulta foi o psiqui falar isso para mim: "com o perdão da palavra senhora, mas você é ignorante em querer transferir sua dor para sua mãe por pensar em tirar a própria vida". E é verdade, porque quando a pessoa pensa e pratica suicídio, transfere sua dor para os que ficam (aqueles que sempre nos amou e fez de tudo para nos salvar. Chorei igual um bebê, porque quando pensamos nessa hipótese em suicídio, nem imaginamos as consequências, só enxergamos as dificuldades e os problemas atuais. Espero que com as consultas, terapias e medicamentos eu melhore e tire de vez esses pensamentos ruins... relato isso porque pode ter alguém do outro lado da telinha passando pelo mesmo problema que eu, afinal, depressão é o mal do século e ele deve ser combatido.

Estou até gostando de escrever as postagens desabafando com vocês, me sinto mais aliviada e mais fortalecida, além é claro de poder ajudar outras pessoas que tem o mesmo problema que eu (depressão não tem cura, mas tem solução e tratamento). Mudando de assunto, trago para vocês mais inspirações em vestidos escolhidos por mim no site Yesbabyonline. Confiram: 

Decidi com minha mamãe que eu não participaria da colação de grau da faculdade... primeiro porque o valor a ser pago é muito alto e segundo, prefiro investir esse dinheiro na minha viagem dos sonhos. Mas para não passar batido, eu estou pensando em fazer uma festinha com minha família e amigos em algum sítio. E para isso, penso em algum vestido bonito para usar do dia, afinal, nesse dia de comemoração eu quero estar bonita igual uma princesinha mesmo. 



Hi people!
After my depression crisis yesterday, I went to the psychiatrist with my mother and I must have spent over a thousand reais on medicine, consultation, transportation, etc. But if it's for a general good, we do it. One phrase that struck me during the consultation was that the psyche would say this to me: "Forgive the word madam, but you are ignorant of wanting to transfer your pain to your mother for thinking about taking your own life." And it's true, because when a person thinks and practices suicide, he transfers his pain to those who remain (those who always loved us and did everything to save us. I cried like a baby, because when we think of this hypothesis in suicide, we don't even imagine consequences, we only see the current difficulties and problems. I hope with consultations, therapies and medications I get better and take away those bad thoughts ... I report this because there may be someone on the other side of the screen going through the same problem as me, After all, depression is the evil of the century and it must be fought.

I am even enjoying writing the posts venting with you, I feel more relieved and more empowered, and of course I can help other people who have the same problem as me (depression has no cure, but it has solution and treatment). Changing the subject, I bring you more inspiration for dresses of my choice on the Yesbabyonline website. Check it out:

I decided with my mom that I would not attend college graduation ... first because the amount to be paid is so high and second, I prefer to invest this money on my dream trip. But not to be beaten, I'm thinking of having a party with my family and friends somewhere. And for that, I think of some beautiful dress to wear for the day, after all, on this day of celebration I want to be beautiful just like a little princess.


Entrando no site, eu me deparei com esses vestidos de dama de honra azul oceano. Escolhi essa cor porque acho muito lindo e combina bem com minha pele. O primeiro modelo escolhido para ilustrar essa postagem é esse acima, achei tão bonito os detalhes superiores, dignos de uma princesa. Eu usaria com gosto. 

Entering the site, I came across these ocean blue bridesmaid dresses. I chose this color because I find it very beautiful and blends well with my skin. The first model chosen to illustrate this post is the one above, I found the beautiful details, worthy of a princess, so beautiful. I would use it with taste.


Já esse segundo modelo escolhido eu pensei muito naqueles tempos de calor, pois como o vestido é de alças, aparenta ser bem confortável e não perde seu estilo. Além disso, eu sou apaixonada por vestidos simples e bonitos... e acho que nesse modelo eu acertei em cheio. 

Already this second model chosen I thought a lot in those hot times, because the dress is strapless, looks very comfortable and does not lose its style. Besides, I'm in love with simple and beautiful dresses ... and I think in this model I got it right.


E para finalizar, escolhi outro modelo de cor azul oceano, porém achei o vestido uma mistura dos dois modelos anteriores, tudo porque ele é meio sofisticado e simples ao mesmo tempo, sem contar que ele possui poucos detalhes e aparenta ser bem confortável. 

And finally, I chose another model of ocean blue color, but I found the dress a mix of the two previous models, all because it is a bit sophisticated and simple at the same time, not to mention that it has few details and looks very comfortable.



 * Esse post é publieditorial.



Gostaram da postagem? Comente!



Até a próxima!
Beijos.