Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

23 agosto 2018

Bullying

Oi gente!
Eu estou escrevendo este post porque acabei de assistir um vídeo no YouTube do canal Alexandrismos, na qual gosto demais da Alexandra e no quanto ela fala sobre os assuntos sobre preconceito, gordofobia e principalmente, o Bullying. Eu a admiro por usar da sua grande influência para o bem de todas as pessoas, independentemente de serem "padrão" ou não.


Um dos vídeos que mais me tocou foi com certeza o vídeo comparação entre a morte da Nara Almeida e da Dielly Santos, na qual uma morreu com total admiração pelo exemplo de vida e a outra que morreu por ser vítima de bullying, gordofobia e mesmo após sua morte, as piadas e humilhações sobre ela não cessaram, o que mostra o lado mais podre de um "ser humano", que não se põe no lugar do próximo e cujo objetivo na vida é humilhar uma pessoa, até mesmo após sua morte.

Eu fiquei muito sentida com esse vídeo, porque eu já fui vítima de bullying e esse foi o portal para as demais doenças que estão presentes na minha vida hoje. Eu não julgo aquele que, por ser vítima desse mal, teve coragem de tirar a própria vida, porque eu já tentei (por várias vezes) ter a mesma atitude, mas acabava desistindo, porque pensava na minha família e no quanto ela sentiria minha falta, principalmente minha mãe.


O bullying foi a razão maior por eu ter depressão hoje. Na época da escola, eu era motivo de chacota, e a parte mais triste era que essas agressões vinham daqueles que eu considerava meus amigos. Se hoje algum deles acompanham meu blog, eu não sei..., mas o que eles não sabiam na época, era que, aquelas piadas de mal gosto, a risada do público e até mesmo dos professores (que não gostavam de mim por eu ser gorda e feia... a única professora que gostava de mim do jeito que eu era, também era acima do peso, assim como eu). E por eu ser a mais velha da sala, me desenvolvi mais rapidamente que as demais meninas; com 10 anos eu comecei a ter ciclo menstrual, espinhas no rosto, corpo acima do peso, pelos no corpo, etc. E isso, era motivo para eu ser o centro das atenções para gozações dos colegas de classe. Eu era calada, tímida, boba, simples... tudo que um agressor verbal, psíquico e físico precisa para se satisfazer.


Me doía complemente os apelidos maldosos que os colegas colocavam em mim, escolhiam "namorados" para mim e eles, na minha frente, diziam que nunca ficariam comigo, que eu era feia demais, etc. Isso me deixava num estado depressivo gravíssimo, minha autoestima ia lá no abismo, eu sempre  me olhava no espelho de casa e me sentia horrorosa, chorava muito e alimentava mais ainda a vontade de acabar com minha vida.


Nessa época (e até hoje), não guardo nenhuma mágoa deles, e sempre que eles precisavam de mim, eu estava lá para ajudar, sem julgar. Meus pais naquela época, não me apoiaram em nada, porque achavam que o bullying era besteira e que eu estava exagerando. A pessoa que sofre bullying:

  • Se isola 
  • Tem insônia
  • Falta de apetite
  • Queda no rendimento escolar
  • Baixa autoestima
  • Ansiedade
  • Desejo de não ir à escola
  • Automutilação
  • Agressividade
  • Tristeza
  • Desânimo
  • Pesadelos

Como eu sofria, possuía quase todos esses sintomas acima:

  1. Eu me isolava demais das pessoas, dos meus amigos, e mesmo eles me fazendo de chacota, ás vezes, eu não queria ficar sozinha e me submetia à companhia deles (por mais que me fizessem mal). 
  2. Hoje, como uma pessoa um pouco mais madura, no dia a dia sou bastante isolada, não consigo me envolver tanto com as outras pessoas igual antes. É o ruim, é que as pessoas vendo minhas atitudes, me consideram como metida, chata, antissocial..., mas o problema maior, é que tenho medo de abrir espaço para mais pessoas e elas simplesmente me ferirem, e essa concepção é triste demais. 
  3. Na pré-adolescência, eu comecei a ter insônia, ouvir vozes, ser vítima dos assédios sexuais, o bullying na escola. 
  4. Não passei ela fase de não ter apetite, pelo contrário, eu comia e muito, até de maneira exagerada. 
  5. Também não me mutilava, porque eu detesto sentir dor. Porém, roía unhas até sangrarem e doíam demais, a ponto de os dedos ficarem latejando. Hoje, ainda roo unhas, mas não a tal ponto de sangrar igual era antes. 
  6. Não passei por queda no rendimento escolar, porque na escola eu era uma das melhores alunas da classe. Porém, isso mudou na minha vida acadêmica, estando no ensino superior. Quando fico depressiva demais, não consigo ter ânimo para nada, fico apenas prostrada na cama, chorando ou dormindo. 


Eu sempre tive baixa autoestima. Começou com o bullying, já que as pessoas falavam que eu era muito feia, gorda, ridícula, etc. Tais ofensas ainda estão enraizadas dentro de mim, na qual, mesmo hoje, as pessoas falarem que sou bonita, eu não me considero. Eu sou bonita por dentro, meu interior sempre foi lindo, mas o exterior, não, nunca foi.

Não gostava de ir à escola, porque era lá que eu era maltratada, não era aceita e não me sentia bem. Ir à escola era um pesadelo, como se eu tivesse indo para um ninho de cobras ou para o próprio inferno. Sofri por 2 anos na escola por bullying e gordofobia. Era raro eu voltar para a casa sorrindo, sempre voltava chorando, porque o grau de humilhação naquele lugar era imenso.


A tristeza sempre fez parte da minha vida, assim como o desânimo e alguns pesadelos. O que auxiliou para eu desenvolver a depressão. E quando fico nesse estado, as pessoas percebem... alguns falam comigo e outros simplesmente ignoram... faz parte.

Eu era o perfil perfeito para sofrer bullying, porque eu era frágil, tímida, boba, bondosa. E o povo não perdoa, né? Caía matando mesmo! Meus "agressores" me humilhavam com base na minha aparência e eu não fazia nada, simplesmente absorvia e não debatia. Não chorava na frente deles, mas no caminho para a casa, antes de dormir, depois de acordar, eu desabava no choro... porque eu sabia que teria que voltar a escola no dia seguinte. Era horrível.


Mesmo na fase adulta, sinto que o bullying me fez tanto mal que, deduzo que essa fase depressiva será perpétua dentro de mim. Ela pode até ser amenizada com medicamentos e um pouco de força de vontade, mas os traumas são tão grandes que já estão enraizados em mim, o que torna quase impossível de retirar. E após esse desabafo sobre o tema, o que eu deixo como recado é:


Pais; Ouçam os relatos da vítima de bullying sem julgar. Conceda apoio e carinho a vítima e esteja ao seu lado para dar forças. Por mais que sejam crianças ou adolescentes, possuem sentimento e cá entre nós, sofre muito mais que um adulto. Fique atento às mudanças de comportamento da vítima e tome as devidas providências, se comprovado a violência física ou verbal.

Escola; Também escute os relatos da vítima e tomem as devidas providências. Bem como, incentivar campanhas de prevenção contra o bullying, para as demais pessoas saberem desde pequenos a respeitarem as diferenças e tratar os colegas com respeito e dignidade.



Até a próxima!
Beijos. 

12 comentários:

  1. Acho tão triste essa prática do bullying, é preciso educar mais as crianças para que isso não ocorra.
    www.achatadebatom.com

    ResponderExcluir
  2. Que texto ótimo, realmente esse assunto e bem delicado e não e brincadeira.
    Beijos

    www.glamour2.com

    ResponderExcluir
  3. Isso é algo completamente difícil e só vem piorando. Seu post é maravilhoso, ajuda bastante.
    Beijinhoos. ❤
    https://lewestinblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Não me lembro de ter sofrido bullying, mas é uma coisa realmente seria e nunca será uma brincadeiras. Pessoas que fazem isso, só peço a Deus p guiar-las para ser melhores pessoas nessa terra. Xeruh

    www.kleidenaira.com.br

    ResponderExcluir
  5. Eu também adoro o canal da Alexandra, mas ainda não vi esse vídeo. Inclusive coloquei ele na lista do "assistir mais tarde" assim que vi, porque sei que é aquele vídeo que preciso ver, sabe? E concordo, bullying não é brincadeira! Só quem sente na pele sabe como uma "brincadeira" pode se tornar tão pesada a ponto de nos fazer imaginar a morte. Enfim, adorei o post! Necessário.
    Beijos!

    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  6. A maioria das crianças sofre bullying, eu sofria também mas não me mutilava e tão pouco me isolava.
    big beijos
    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
  7. Você foi muito corajosa em falar sobre isso. Talvez alguns daqueles que exerceram bulying sobre você leiam e que um dia possam ter um filho nas mesmas condições. Como o ser humano pode ruim?
    Xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderExcluir
  8. Adorei a abordagem a esse tema :D
    Também já foi um post que abordei no meu blog :D
    Beijinho *

    https://w-m-mind.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  9. Leidi, que post mais incrível! Tenho certeza que logo você vai conseguir vencer a depressão que você acha que não consegue retirar.
    Eu não imagino o quão difícil deva ser ter depressão, mas com força, você vai conseguir vencer isso.
    Eu também sofri muito bullying até a oitava série, justamente por ser gorda e ter muitos pelos. E apesar de ter sido uma época horrível, sou grata por não ter tido nenhuma "consequência" após essa fase.

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  10. Tanta gente que sofre... em silêncio. :))

    Bjos
    Votos de uma óptima Sexta-Feira

    ResponderExcluir
  11. esse é um assunto muito serio mesmo que nao deve ser tratado como frescura! acho mt importante que cada vez mais se fale sobre isso pois pode traumatizar por mts anos

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião acima:
Beijos. ♥